SETE DICAS PARA UM CONFINAMENTO SEM BIRRAS

SETE DICAS PARA UM CONFINAMENTO SEM BIRRAS

SETE DICAS PARA UM CONFINAMENTO SEM BIRRAS

Este segundo confinamento, que continuará por mais tempo, traz grandes desafios a pais que têm crianças pequenas em casa. Num recente artigo, a revista Marketeer lembra que as birras e frustrações são naturais e que, sendo esta já a segunda vez que os mais novos se vêem privados de sair à rua, poderão ser ainda mais intensas.

Mas existem, porém, algumas formas de contornar a ansiedade gerada pela situação de pandemia. Marta Chambel, médica especialista em imunoalergologia e consultora da uma loja online de brinquedos, partilhou alguns conselhos para apoiar os pais por esta altura.

Eis sete dicas que prometem ajudar a tornar os dias das famílias em confinamento mais fáceis e saudáveis:

  • Ser paciente e escutar os mais novos | Em períodos de confinamento, é normal que as birras e a tensão familiar aumentem. Para as contornar, os pais devem ser pacientes e ouvir os seus filhos e, tal como recomenda a Ordem dos Psicólogos Portugueses e a Organização Mundial da Saúde, dar-lhes uma dose extra de atenção e carinho. Devem ainda transmitir serenidade nas conversas, tentando perceber quais são as preocupações dos mais novos, o que ajudará a resolvê-las;
  • Manter o contacto com o exterior | No caso dos adolescentes, é importante que mantenham o contacto com quem está fora do agregado familiar. Incentivar a interacção social, através de conversas online com amigos e familiares, é uma opção segura e fácil;
  • Explicar-lhes o que estão a viver | É necessário que os mais novos compreendam o que está a acontecer. Para isso, devem ser estabelecidos limites de tempo, dando-lhes a noção de início e fim da situação. É preciso ainda que se expliquem os diversos benefícios do isolamento e a sua importância para a segurança da família, para que percebam o porquê de não poderem estar com os seus amigos e restante família;
  • Actividades lúdicas devem ser valorizadas | Brincadeiras que substituam a televisão e as novas tecnologias, como os jogos de tabuleiro, os desenhos e trabalhos manuais são alguns exemplos do que pode ser divertido realizar com quem mais se gosta;
  • Manter as rotinas e regras | As rotinas e horários habituais, nomeadamente das refeições e a hora de deitar, devem ser respeitadas, uma vez que ajudam as crianças e jovens a sentirem-se mais seguras e transmite-lhes a ideia de organização. Também as regras e disciplina são essenciais: os pais têm de ser firmes nas suas decisões (mas não zangados);
  • Envolver as crianças nas actividades domésticas | De forma a promover o trabalho em equipa, desde que sempre adaptado a cada idade, as crianças podem participar em todas as tarefas domésticas que conseguirem. Além de serem vistas como um desafio, tornam-se algo divertido, o que revela uma das principais oportunidades do confinamento: o tempo de qualidade passado em família;

Reforçar a segurança online | Ao existir mais tempo para navegar na internet, é importante que se fale com os jovens sobre algumas regras importantes a ter quando se está online. Não partilhar informação pessoal ou fotos e vídeos íntimos, nunca revelar passwords, alertar para o perigo de falar com desconhecidos e esclarecer que situações de violência online devem ser sempre denunciadas são alguns exemplos.

No Comments

Post A Comment

fourteen − 2 =